Páginas

quarta-feira, 2 de março de 2011

JOÃO BATISTA – ISRAEL – 30 d.C.

Durante esses mais de dois mil anos de cristianismo, muitos cristãos se inspiraram no próprio Jesus e viveram radicalmente para Deus. Suas histórias marcaram gerações e ainda inspiram milhares ao redor do mundo. Com toda certeza eles podem receber o título de Jesus Freaks –"Loucos por Jesus". Entretanto, dentre todos eles, nunca se ouviu falar de alguém como João Batista. Podemos resumir sua vida em três partes: sua missão, suas obras e sua morte.
Sua missão. Ele foi o escolhido por Deus Pai para preparar o coração das pessoas para receber o Filho de Deus e apresentá-lo ao mundo.
Suas obras. João não realizou nenhum milagre, mas pregava por toda parte uma dura mensagem contra o pecado, que atraía multidões de todos os lugares. Ele batizava todos os arrependidos nas águas do Jordão e anunciava a vinda de Alguém "mais poderoso" do que ele, que batizaria a todos com o Espírito Santo. Além disso, foi ele quem batizou Jesus no Jordão e ainda mandou que seus próprios discípulos seguissem a Cristo.
Sua morte. Sem se importar com as conseqüências, João condenou o próprio rei Herodes por tomar para si a mulher de seu irmão Filipe. Herodes o lançou na prisão, onde o profeta ficou até ser executado a pedido de Herodias e sua filha, que se aproveitaram de uma promessa feita pelo rei durante uma festa e exigiram a cabeça de João numa bandeja.
Contudo, alguém pode estar se perguntando: "Concordo que ele foi um grande homem de Deus, mas o que torna João tão especial assim"? Existem dois motivos. Primeiro, desde Estevão, o primeiro mártir, até hoje, muitos seguiram o exemplo da vida e da morte de Jesus e se entregaram por completo a Deus. Entretanto, João foi preso logo no início do ministério de Cristo (Mt 4.12,13) e não viu seus milagres, seus ensinamentos, sua crucificação, sua morte e sua ressurreição! Assim, João Batista se destaca dentre todos os cristãos pelo fato de ter amado tanto a Jesus a ponto de serví-lo com sua vida e com sua morte, mesmo antes de ter o exemplo do Mestre para seguir!
Ele não dispunha do Novo Testamento, de cultos, do exemplo de outros seguidores de Cristo, do apoio de outros irmãos, da Ceia do Senhor, da lembrança de pregações ou da ressurreição de Jesus. Isso é impressionante!
Em segundo lugar, o próprio Jesus declarou que João Batista foi o maior homem que já nasceu! Todos os cristãos do mundo, por mais que se destaquem, só estão seguindo aquilo que viram seu Senhor realizar, exceto João. Todos os cristãos do mundo, por mais que se destaquem, nunca ouviram o próprio Cristo dizendo-lhes algo como: "Você foi o maior homem que já nasceu". João Batista, porém, recebeu esse elogio.
Em vista disso, o que dizer? Podemos afirmar que aquele homem de aparência estranha, que usava roupas de pele de camelo e um cinto de couro, que comia gafanhotos e mel silvestre enquanto vagava clamando pelos desertos e cidades da Judéia, foi, com toda certeza, o primeiro e o maior exemplo do que é ser um Jesus Freak. Por tudo isso, João Batista foi o primeiro louco de uma série, da qual eu espero que você também faça parte.


Jesus Freaks são vozes que clamam no deserto. João Batista foi como um apresentador que introduziu seu convidado a platéia e se escondeu por detrás das cortinas, deixando Jesus assumir o "show". Essa é a junção de todo cristão. Não somos o centro das atenções, mas, sim, o Senhor.
O mundo continua o mesmo deserto espiritual da época de João, e Jesus permanece o mesmo Salvador maravilhoso de sempre. Sabe o que está faltando? Faltam loucos como João que tenham a coragem de apresentar Jesus ao mundo, sejam quais forem as conseqüências.
Se João Batista pudesse dar um recado aos Jesus Freaks de hoje, creio que seria assim. – "Não se calem! Apresentem Jesus ao mundo. Foi para isso que vocês nasceram. Herodias também quer silenciar você. Lembre-se de que sua cabeça esta a prêmio. Entretanto lembre-se também de que é necessário que Ele cresça e “que você diminua”.


 
Texto retirado do Livro: Loucos por Jesus - Volume 1, Lúcio Barreto Jr.
 
.

3 comentários:

Fabio Rodrigues disse...

È Pastor, precisamos fazer a diferença neste mundo não importa as consequencias!! Que Deus continue te abençoando!

Fabio

teogenes disse...

é verdade pastor estamos vivendo no mesmo mundo espiritual de joão batista.os crentes em jesus deve se espelhar nos exemplos de joão batista e não se calar diante o pecado. mais infelizmente isso não acontece né. muitos estão escondendo o pecado. é preciso abrir o bocão mesmo o dizer arrependei vos e crede no evangelho. que Deus te abençoe mais e mais.

Demétrius A . Silva disse...

Assim como João Batista e outros personagens da Bíblia, falar do Reino de Cristo sem medos ou preconceitos. Pecado é pecado, a verdade dever ser pregada. Que sejamos como Isaías e diz ao Senhor: “Eis me aqui”.