Páginas

sábado, 26 de março de 2011

LIBERTAÇÃO FINANCEIRA

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE FINANÇAS

1. O dinheiro e os bens devem ser vistos de forma realista
# A Bíblia adverte - 1 Tm 6:10
# A parábola do rico insensato - Lc 12:16-21
# O dinheiro não dura para sempre - SI 49:10-12 / Pv 23:4-5
# O dinheiro não satisfaz, nem traz felicidade ou estabilidade - Ec 5:10
# A Bíblia nos ensina a nos contentarmos com o que temos - Hb 1 3 : 5

2. O dinheiro e os bens são dados por Deus
# Deus supre todas as nossas necessidades - Mt 6:25-34

3. Dinheiro e bens podem ser prejudiciais
# A riqueza pode nos fazer esquecer de Deus -1 Tm 6:6-9

4. Dinheiro e bens devem ser administrados com sabedoria
# Parábola dos talentos - Mt 25:14-30
   $  Deus nos confia diversos tipos de recursos, em particular os financeiros;
   $  Deus dá estes recursos a seus servos em diferentes quantidades;
   $  Deus espera que planejemos e administremos nossos recursos com o objetivo de lucro;
   $  Deus condena a preguiça e a ansiedade nos nossos planejamentos (há uma repreensão severa ao mordomo que não faz nada);
   $  Deus considera cada mordomo igualmente responsável, ainda que uns tenham mais recursos que os outros;
   $  A obra de Deus avança ou é emperrada pela forma como exercemos nossa mordomia financeira.
# Os recursos que precisamos administrar com sabedoria devem ser:
   $  Ganhos honestamente (Pv 28:20, 15:27);
   $  Cuidadosamente investidos (Parábola do rico insensato);
   $  Gastos de forma realista (Rm 13:6-8);
   $  Compartilhadas com alegria (2 Co 9:7)
Obs: Nas escrituras sagradas não cita que "se dermos, também receberemos". É uma questão de fé e gratidão a Deus.


AS CAUSAS DOS PROBLEMAS FINANCEIROS

1. Valores distorcidos
(a) Materialismo - vida voltada unicamente para os bens materiais (Lc 12:15);
(b) Cobiça e ganância - desejo de ter sempre mais (Rm 13:9);
(c) Desejo de enriquecer depressa (Pv 28:22);
(d) Orgulho e ressentimento (Ap 3:17).

2. Decisões financeiras equivocadas
(a) Comprar por impulso (Pv 21:5);
(b) Ser descuidado - gasta sem se preocupar;
(c) Especular - querer enriquecer depressa (Ec 5:15);
(d) Servir de fiador (Pv 11:15);
(e) Ser preguiçoso (Pv 19:15);
(f) Perder tempo - para os autónomos "tempo é dinheiro";
(g) Ser desleixado - não cuidar do que é seu;
(h) Comprar a crédito (cartão ou empréstimo);

3. Falta de orçamento (planejamento de gastos)

4. Falta de generosidade (Pv 3:9-10 / Gl 6:10 / Lc 3:11)


O EFEITO DOS PROBLEMAS FINANCEIROS

# Preocupação com dinheiro ou com o pagamento de contas.
# Problemas familiares e conjugais;
# Culpa, inveja, ciúme, ressentimento ou orgulho;
# Vazio emocional e infelicidade;
# Insensibilidade espiritual;
# Causa estresse = provoca doenças físicas, ansiedade, desânimo, tensões interpessoais e queda na produtividade.


COMO RESOLVER OS PROBLEMAS FINANCEIROS

1. Admita a existência do problema e tome a decisão de resolvê-lo;
2. Peça orientação divina (Sl 50:11-12, 55:22 / 1 Pe 5:7);
3. Aprenda os princípios bíblicos relativos ao dinheiro:
(a) Tudo pertence a Deus;
(b) Roubar é errado;
(c) Cobiçar é errado;
(d) Dar é correto;
(e) Administrar nosso dinheiro é correto.
4. Elabore um planejamento financeiro;
(a) Faça uma lista dos seus ativos e passivos;
(b) Estabeleça metas a curto, médio e longo prazo;
(c) Estabeleça prioridades. Primeiro as necessidades, depois as vontades e desejos;
Necessidades são as compras que fazemos para prover comida, moradia, vestuário, assistência médica, transporte e outros itens básicos.
Vontades envolvem escolhas ligadas a qualidade: comprar um carro novo ou usado?, etc.
Desejos são itens onde podemos gastar dinheiro que sobra depois de atender outras prioridades.
(d) Faça um plano orcamentário.
Um orçamento é um planejamento de despesas que nos permite gerenciar e controlar efetivamente os gastos de dinheiro.


CONCLUSÕES SOBRE PROBLEMAS FINANCEIROS

A Bíblia não condena a posse de bens e dinheiro, e sim o acúmulo, a cobiça e a má aplicação dos recursos. Satanás tem usado as pressões financeiras para escravizar pessoas, afoga-las em dívidas e causar preocupações e afastamento de Deus e dos princípios divinos que regem o uso do dinheiro.

Livre-se das dívidas para poder desfrutar da liberdade financeira.


.

3 comentários:

Demétrius A . Silva disse...

Pr. João Luis. Tenho uma experiência muito boa a respeito do dízimo.
Quando aprendi a administrar meu dinheiro, dizimar e ofertar de maneira correta, Deus tem amarrado o devorador.
Muitos cristãos vivem atolados em dívida, não desfrutando do cuidado de Deus.
Deus abençoe. Parabéns pelo post.
http://ciencia-religiao.blogspot.com/

Jony disse...

Muito bom o texto, parabens

Vinícius disse...

Ótima mensagem! Foi usado grandemente por Deus!
Realmente devemos nos planejar com relação ao dinheiro. Devemos fazer do nosso salário uma benção... Usá-lo para abençoar nossas vidas e outras vidas...
Obrigado por compartilhar conosco.
Fique com Deus!
Abraço,
Att. Vini de Oliveira.
http://www.pescadordorei.blogspot.com
@ViniNaves2011