Páginas

quarta-feira, 1 de junho de 2011

JOHN BRADFORD – Inglaterra –1555

Bradford era o conhecido e muito amado pastor da catedral de St. Paul, em Londres. No entanto, acabou sendo lançado na prisão por discordar das crenças da igreja durante o reinado da rainha Maria.

Enquanto estava no cárcere, suas ovelhas o visitavam com tanta fre­qüência que pôde continuar pregando duas vezes por dia. Ele também pregava semanalmente para todos na prisão e dava ofertas do próprio bolso para os mais necessitados.

Os carcereiros confiavam tanto em Bradford que sempre permitiam que ele saísse sem escolta para visitar os membros de sua igreja que fica­vam doentes. Bastava que informasse quando iria retornar, pois cumpria à risca suas promessas.

Após um ano e meio na prisão, foi-lhe oferecido o indulto da rainha se ele tão–somente negasse a fé, mas Bradford recusou-se. Depois de ou­tros seis meses trancafiado, fizeram-lhe a mesma proposta, mas ele a recu­sou outra vez.

Os amigos de Bradford o aconselharam a pedir uma audiência com os teólogos da rainha para discutir questões de fé, a fim de evitar uma con­denação imediata, mas ele respondeu:

Se eu fizer isso, as pessoas vão pensar que estou começando a duvi­dar da doutrina que professo. Não farei isso.

Então não demorará muito para que o matem – responderam seus amigos, com pesar.

No dia seguinte, Bradford foi sentenciado à morte, e a esposa do carcereiro veio dar-lhe a notícia. "Amanhã eles o queimarão vivo"!

Ele calmamente ergueu os olhos ao céu e disse: "Agradeço a Deus. Tenho esperado por isso há muito tempo. Senhor, me faça digno dessa morte".

Na esperança de enganar as multidões, os guardas o transferiram para outra prisão no meio da madrugada. Entretanto de alguma maneira todos ficaram sabendo e um grande grupo de pessoas veio despedir-se dele Elas chegaram ao lugar da execução às quatro da manhã.

Às nove horas, um batalhão de soldados armados chegou trazendo Bradford. Com ele estava John Leaf, um adolescente, que também se recusara a negar a fé. Os dois se ajoelharam e oraram durante uma hora.

Bradford se levantou, beijou um dos pedaços de madeira e depois beijou a própria estaca na qual seria morto. Então, olhando para a multidão disse em voz alta:

Figura

Sabe por que muitos não se convertem a Jesus? Porque quando olham para os seguidores de Cristo percebem que estes reclamam da vida tanto quanto os não cristãos. Muitas vezes o que domina nosso vocabulário e o discurso de derrota e murmurarão, e isso só afasta as pessoas do evangelho.

De que adianta ser cristão se, no meio das chamas dos problemas da vida, pragueja­mos e reclamamos como se não tivéssemos fé em Deus?

Você quer ganhar vidas para Jesus? Então use a infalível tática dos Jesus Freaks: dê glória a Deus seja qual for à situação. Assim o mundo se renderá ao Cristo que pregamos e crerá no evangelho que vivemos.

 

Texto retirado do livro: Loucos por Jesus – Volume 1. Lúcio Barreto Jr.

Um comentário:

JCavalheiro disse...

É de homens com essa fibra, convicção e fé em Jesus que o nosso cristianismo moderno precisa.
Talvez em pouco tempo teremos também de fazer opções semelhantes. Que Deus nos ajude!
Parabéns pela postagem!
Abraços de.....

João Q. Cavalheiro
www.aramasi.blogspot.com